Síria

Síria

Condições de trabalho insustentáveis

Prisões, sequestros e assassinatos continuam a tornar especialmente perigoso e difícil exercer jornalismo na Síria. Em 2018, pelo menos 10 jornalistas perderam a vida, três deles assassinados em circunstâncias nebulosas, jamais elucidadas. A atualização das listas de estado civil permitiu confirmar a morte de cinco jornalistas presos nas masmorras do regime de Bashar al Assad. Desde o começo do ano, dezenas de jornalistas tiveram que fugir do avanço das tropas do regime (particularmente em áreas de Ghouta e Deraa), temendo a prisão. Os jornalistas são intimidados tanto pelo Exército Sírio como por diferentes grupos armados, incluindo os extremistas, Estado Islâmico / Hayat Tahrir al Sham, ou grupos apoiados por forças turcas ou curdas.
Dos novos meios de comunicação sírios criados por jornalistas-cidadãos no rescaldo da revolta poucos sobreviveram. Finalmente, em março de 2018, o governo sírio adotou uma nova ferramenta de repressão na Internet, criando tribunais especiais para crimes cibernéticos.

174
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2019

Posição

+3

177 em 2018

Pontuação global

-7.44

79.22 em 2018

Contatos

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2019
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2019
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2019
Ver o Barômetro