Notícia

12 Março 2018

#CollateralFreedom: A RSF desbloqueia três novos sites alvos de censura

No Dia Mundial Contra a Cyber Censura, a Repórteres sem Fronteiras (RSF) lança uma nova edição de sua operação Collateral Freedom. O objetivo é restabelecer o acesso a mídias online censuradas em seus países.

O bloqueio de sites de mídias independentes é uma das estratégias mais usadas pelos predadores da informação. Desde 2015, a RSF luta contra essa prática criando sites "espelho", ou seja, cópias exatas desses sites. Depois de desbloquear 10 sites em 2015, seis em 2016 e cinco em 2017, a RSF ajudou outros sites a driblar a censura por ocasião do dia 12 de março, Dia Mundial Contra a Cyber Censura. No total, a RSF restabeleceu o acesso a 24 sites de notícia.


No Burundi, em Omã e no Irã, mídias independentes continuam a existir graças ao Collateral Freedom.


Entre os sites desbloqueados está o site independente burundiano Iwacu. Desde o fechamento forçado das rádios do país por ordem do presidente Pierre Nkurunziza em 2015, Iwacu é uma das últimas mídias livres do Burundi. Porém, assim como outros sites de informação online burundianos, o semanário tornou-se inacessível. Desde 10 de outubro de 2017, uma página branca indicando um problema de URL ou de site bloqueado aparece na abertura da página online do jornal, levando a pensar que ele simplesmente fechou.


Outra mídia que voltou ao ar: Mowatin ("cidadão"), uma revista eletrônica independente, criada em 2013 em Omã pelo jornalista e escritor Mohamed al Fazari, pouco após sua saída da prisão. O blogueiro e defensor dos direitos humanos havia sido preso em 2012 juntamente com outros ativistas, acusado de "aglomeração com intenção de organizar motins" e de "ofensas ao Sultão". Bloqueado em 2017 em Omã e na Arábia Saudita, o site Mowatin migrou para outro nome de domínio. Ainda que hoje esteja acessível em Omã, permanece bloqueado na Arábia Saudita.


Majzooban Noré a única fonte de informação independente da comunidade sufi do Irã. Os jornalistas que colaboram com essa mídia são, com frequência, alvos do governo iraniano. Em fevereiro de 2018, o site publicou informações e difundiu vídeos sobre a violência policial durante manifestações que abalaram o país. Vários de seus colaboradores foram espancados pelas forças de segurança, a tal ponto que dois deles ficaram em estado de coma durante vários dias. Vítima de inúmeros ataques cibernéticos, o site não está acessível desde 2011. Faz dez anos que os sufis estão na mira do governo.


A técnica do mirroring: como a RSF desbloqueia esses sites?


A RSF coloca online uma cópia conforme, sincronizada em tempo real, hospedada por grandes serviços informáticos, como Fastly, Amazon ou OVH. Essa técnica é chamada de "mirroring". Para os governos predadores da informação, bloquear o acesso a sites espelho é muito difícil, pois seria necessário cortar a conexão a todos os serviços desses gigantes da internet. Essa operação causaria danos colaterais consideráveis aos inimigos da Internet, e é isso que a RSF faz com que se lembrem através da operação #CollateralFreedom.


Para poder continuar com a operação #CollateralFreedom, a RSF lança este ano uma operação de financiamento participativo na plataforma KissKissBankBank