Burundi

Burundi

Sem espaço para a informação

No Burundi, a situação ainda é preocupante desde a tentativa de golpe de maio de 2015. A maioria das rádios independentes continua fechada, dezenas de jornalistas ainda são forçados ao exílio, o discurso público associa a mídia não alinhada a inimigos da nação e os jornalistas, regularmente assediados pelas forças de segurança, estão lutando para trabalhar livremente. Mesmo que a RSF não tenha registrado nenhum caso de jornalista morto ou preso em 2018, o medo, a resignação e a autocensura se instalaram em grande parte nas redações. O referendo constitucional aprovado com resultados esmagadores ocorreu em um cenário midiático bloqueado pela suspensão de duas grandes rádios internacionais e em um contexto de constante intimidação contra os repórteres. As redes sociais, ao mesmo tempo ferramentas de trabalho dos jornalistas e fontes de informação, tomaram o lugar das rádios amordaçadas, sem contudo constituir uma proteção contra as tentativas, numerosas, de desinformação.

159
na Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2019

Posição

0

159 em 2018

Pontuação global

-2.37

55.26 em 2018

  • 0
    Jornalistas assassinados em 2019
  • 0
    Jornalistas cidadãos assassinados em 2019
  • 0
    Colaboradores assassinados em 2019
Ver o Barômetro